{"content":"
Relat\u00f3rios<\/strong><\/center>\n
\nREUNI\u00c3O CONSELHO SENAI<\/strong>\n
\nData: <\/strong> 09\/04\/2015
\n
\n\nRelat\u00f3rio da Reuni\u00e3o: <\/strong>\n

\n\tRELATÓRIO REUNIÕES SENAI - BRASILIA<\/p>\n

\n\tNos dias 24 e 25 de março de 2015, aconteceram as reuniões prévias, que são entre o grupo técnico do SENAI e as centrais sindicais, e do conselho do SENAI em Brasília.<\/p>\n

\n\tAs reuniões se pautaram novamente pelos orçamentos do SENAI, agora com a prestação de contas 2014 e as previsões para 2015. A receita de 2014 em relação a 2013 significou um aumento de 7%, num valor de R$ 7,2 bilhões. Sendo que desde valor R$ 3.6 bilhões, foram de arrecadações compulsórias.<\/p>\n

\n\tNovamente cobramos a participação dos sindicatos nas discussões do sistema, e principalmente na grade pedagógica, e nas clarezas do sistema de gratuidade.  Destacamos a importância de democratizar o espaço curricular dos cursos, o que ficou encaminhado que na próxima reunião com as centrais, será apresentada a grade e como se dá ou pode se dar a participação dos sindicatos.<\/p>\n

\n\tDestacamos, as discussões sobre organizar o SENAI em relação às normas federais, para que se habilite e possa certificar cursos de gratuidade, agora também sendo feito à distância. Deixamos claro nossa posição, opinião da CUT quando nos abstivemos na reunião que discutiu a habilitação do SENAI na rede Federal. Nessa reunião, 25 de março de 2015,  fizemos o nosso registro e destacamos o passivo que está se criando pelo SENAI em não estar observando a capacidade técnica dos trabalhadores, que hoje são contratados como Monitores, instrutores e não como professores de uma escola Federal, licenciada pelo MEC.<\/p>\n

\n\tImportante destacar que o SENAI repassa muito responsabilidade para os estados, no que se referem às demandas dos cursos técnicos quanto à gestão financeira local, e nesse particular precisamos monitorar nossos conselheiros e conselheiras estaduais para que busquem democratizar esse sistema. Levando em conta que os estados gastaram R$ 393 milhões, equivalendo 44% da despesa do Departamento Nacional do SENAI. Neste particular, dos estados, destacamos a aprovação neste dia 25 de março a criação de um programa de PLR, para os trabalhadores do departamento nacional, mas que não tem validade aos trabalhadores estaduais. Portanto, nossos representantes estaduais devem saber do que acontece.<\/p>\n

\n\tDestaca-se também o investimento sendo realizado pelo SENAI na formação de mão de obra na indústria naval e offshore, onde o sistema fez parceria com agência Japonesa de Cooperação Internacional, onde peritos japoneses encontram-se em visitas aos estados do Pernambuco, Bahia, Rio de janeiro e Rio Grande do Sul, em um convênio que teve inicio no mês de Janeiro em conjunto com o ministério do desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O objetivo central é capacitar profissionais no Japão, assim como a vinda de  equipamentos, que serão doados ao Brasil pela Agência japonesa, junto com as tecnologias que serão transferidas.<\/p>\n

\n\tPor fim, em meio ao debate os representantes da Força Sindical, postularam a situação da Indústria e proporam um pacto entre trabalhadores e empresários, para que haja mais emprego e crescimento no setor. Este conteúdo teve coro entre os representantes patronais, em um dos temas quais citaram, seria iniciar pela revogação da NR 12. Nós da CUT, destacamos que o ministro da Indústria foi presidente deste conselho sendo hoje um representante empresarial no governo, e que nós defendemos um programa para indústria, que tenha as nossas proposições no programa, como exemplo o Programa de Proteção de Emprego, PPE. Que se convoque a retomada dos conselhos de competividade, como meio de debates propositivo. Que se criem mais mecanismos de mais investimento em inovação tecnológica como o debate do polo de ferramentaria, assunto importante para modernidade do parque fabril brasileiro.<\/p>\n

\n\tPor fim, deixamos claro nossa participação como CUT, junto com a nossa assessoria da CUT, companheiro Alexandre do DIEESE.<\/p>\n

\n\tMARÇO\/2015<\/p>\n

\n\tLoricardo de Oliveira                                                            José Roberto Nogueira da Silva (Bigode)<\/p>\n

\n\t <\/p>\n<\/div>\n\n Relat\u00f3rio de autoria de: <\/strong> (Loricardo de Oliveira Jos\u00e9 Roberto Nogueira da Silva (Bigode))<\/em>\n","error":"","exec":"","redirect":"","redirectOut":""}